• Flavia Andrade

AgroQuantum inicia atividades em Mato Grosso do Sul


(Foto: Divulgação)

Sem resíduos químicos, empresa traz produtos para fortalecer a produção agrícola com alta performance

Mato Grosso do Sul se destaca por sua alta produtividade agrícola, em especial em soja e milho. De acordo com dados da Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária do MS), o Estado é o 5º maior produtor e 6º maior exportador de soja do Brasil e o 4º maior produtor e 3º maior exportador de milho do País. A partir de agora, o segmento ganha um forte aliado para fomentar ainda mais a produção, já que neste sábado (16), a empresa AgroQuantum inicia oficialmente suas atividades no Estado.

Pioneira no Brasil, a AgroQuantum é um novo conceito em insumo agrícola, aliando conhecimentos da física quântica (eletromagnetismo terrestre e bioativadores) para incrementar a performance agrícola em todas as fases: plantio, germinação, desenvolvimento e produção de grãos, produtos que estimulam o potencial da planta e a protege contra as adversidades como ataques de pragas e secas, sem aditivos químicos, o que torna a produção rentável e sustentável.

A empresa iniciou suas pesquisas em lavouras e pastos há mais de duas décadas e ao longo do tempo, desenvolveu e aprimorou a tecnologia que nos últimos quatro anos, apresenta resultados satisfatórios, como explica o diretor da AgroQuantum, o médico veterinário, Pedro Cucco.

“Os produtos atuam estimulando a própria energia do sistema, direcionando o que a natureza oferece de forma eficiente para produzir fertilidade do solo , melhor desenvolvimento e proteção das plantas, ou seja, a tecnologia é direcionada para o combate a pragas, doenças fúngicas e estresse hídrico através de tecnologia inovadora, explica.

As linhas AQ Terram, AQ Plant e AQ Grano podem ser aplicadas em pastagens e plantações de grãos, oleaginosas, hortaliças e fruticultura, com resultado em curto e médio prazo e alta rentabilidade ao produtor, que ganha no aumento da produção e nos benefícios agregados ao produto final.

“O incremento na produção pode chegar a até 20%. Citando uma lavoura de milho como exemplo, com um investimento médio de R$ 104 por hectare, o produtor pode ter um ganho de 5 a 7 sacas a mais por hectare no grupo tratado, comprovando o aumento na produção. Além disso, são produtos livres de resíduos químicos, o que colabora para a conservação do meio-ambiente e aumenta os atributos de valor do produto final, atendendo aos mercados mais exigentes, como o Europeu”, pondera o diretor da marca.

Outro benefício da linha AgroQuantum é o estímulo ao ‘solo vivo’. Este solo, rico em microrganismos e macro organismos, tem a fertilidade do solo, garantindo safras com qualidade, alta produtividade e meio-ambiente conservado, com necessidade mínima ou nenhuma necessidade de aditivos químicos adicionais.

“Um modo simples de exemplificar é que a natureza nos fornece gratuitamente insumos altamente potentes e a agricultura quântica potencializa a ação destes insumos. Esta tecnologia não usa nada de fora, já que todo o sistema já tem em si, o potencial para o equilíbrio e resultados almejados. Nossos produtos apenas potencializam essa capacidade funcional do solo, raiz e planta, ativando o funcionamento das células”, avalia Pedro Cucco.


( ** Com informações da Assessoria)

0 visualização0 comentário