• Flavia Andrade

Após pesquisa da Uol, Deputados querem relatório sobre a qualidade da água em Mato Grosso do Sul


Audiência Pública deve ser marcada na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul para debater informação (Foto: Divulgação)

Nesta quarta-feira (17), durante a sessão ordinária na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, parlamentares debateram sobre uma pesquisa realizada pelo site de notícias UOL, a qual aponta que a Capital está entre uma das onze cidades com coquetel de agrotóxico na água, com isso, os deputados solicitaram um relatório do Ministério da Saúde, atestando a qualidade da água consumida pela população.

Segundo matéria veiculada pelo site UOL, dados do Ministério da Saúde, apontam que um coquetel que mistura diferentes agrotóxicos foi encontrado na água consumida em 1 a cada 4 cidades do Brasil entre 2014 e 2017.

Conforme a pesquisa, nesse período, as empresas de abastecimento de 1.396 municípios detectaram todos os 27 pesticidas que são obrigados por lei a testar. Desses, 16 são classificados pela Anvisa como extremamente ou altamente tóxicos e 11 estão associados ao desenvolvimento de doenças crônicas como câncer, malformação fetal, disfunções hormonais e reprodutivas. Entre os locais com contaminação múltipla estão as capitais São Paulo, Rio de Janeiro, Fortaleza, Manaus, Curitiba, Porto Alegre, Campo Grande, Cuiabá, Florianópolis e Palmas.

Os parlamentares irão se reunir com o Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul), Águas Guariroba e Sanesul, para apurar as questões relacionadas a qualidade da água que está sendo distribuída para os moradores da Capital e dos outros municípios do Estado.

De acordo com Renato Câmara (MDB) afirmou que vai pedir informações para a Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano (VigiÁgua), que é uma autarquia dentro da secretaria de Estado, responsável por analisar a água de Mato Grosso do Sul.

já Pedro Kemp (PT) realizou indicação ao Ministério Público Estadual (MPE) para apurar dos divulgados sobre a situação da água em Campo Grande. Segundo parlamentar, “Mato Grosso do Sul é agrícola, a contaminação seria como aconteceu em Bonito, as lavouras são pulverizadas, quando chove, água que vai para o rio, desce contaminada”, destaca.

Segundo o deputado estadual Barbosinha (DEM), ex-presidente da Sanesul, entre 2007 e 2014. Durante este período, várias discussões sobre isso foram debatidas. Para ele,“Os resultados eram superficiais, mas tem que verificar a qualidade da água, por causa da agricultura e pecuária. Mas, quando fui presidente, a empresa tinha comprometimento grande com a qualidade da água, nunca foi encontrado nada acima do permitido”, conclui.

Uma audiência pública foi solicitada pelos deputados para debater as questões relacionadas, mas ainda sem data marcada

2 visualizações

067996110911

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram Social Icon

©2018 by Flavia Andrade