• Flavia Andrade

Apras alerta para baixo efetivo da Polícia Civil


O coordenador do CPAR-PR, Éder Motin, considera esse dado é alarmante e é um dos motivos da insegurança pública e lentidão do sistema (Foto: Divulgação/Assessoria)

Em reunião do CPAR-PR - Comitê de Prevenção de Perdas da Apras (Associação Paranaense de Supermercados), o presidente da Associação de Delegados de Polícia do PR, Dr. Daniel Fagundes, divulgou que apenas 45% do quadro total da Polícia Civil está efetivo.


Segundo o coordenador do CPAR-PR, Éder Motin, esse dado é alarmante e é um dos motivos da insegurança pública e lentidão do sistema. “Nós, como membros de associações, precisamos nos mobilizar para cobrar o poder público. A sociedade merece que lutemos por uma polícia que não esteja defasada”, destacou.


Somente em Curitiba, são realizados cerca de 400 boletins de ocorrência diariamente e, neste cenário, o efetivo da polícia não é o suficiente para tanta demanda.


No setor varejista, os furtos representam 31% das perdas, segundo pesquisa da Abrappe (Associação Brasileira de Prevenção de Perdas). Muitos são os casos de roubos enfrentados pelo segmento e o CPAR-PR vem trabalhando para unir o setor e discutir o assunto.


“Queremos dar voz ao varejo e à população, que clama por mais segurança. Pedimos apenas para que a quantidade mínima do efetivo policial previsto na legislação seja cumprida”, disse Motin.


Além da participação do Dr. Daniel Fagundes, a reunião contou com a presença do diretor de planejamento da Fecomércio, Rodrigo Sepulcri Rosalem, e do diretor da Exatidão Consultoria de Seguros, Deniz Pacheco de Carvalho, que abordou a importância de os empresários investirem em meios protecionais.

0 visualização

067996110911

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram Social Icon

©2018 by Flavia Andrade