• Flavia Andrade

Aprovado projeto de práticas integrativas complementares em saúde na Capital


(Foto: Divulgação)

O Projeto de Lei n. 9.325/19 foi aprovado na Câmara Municipal de Campo Grande nesta terça-feira (5), sendo comemorado pelo autor do projeto, vereador Dr Lívio, por praticantes e professores das áreas. O projeto aprovado cria o Programa Municipal de Práticas Integrativas e Complementares e de Educação Popular em Saúde (PMPICEPS) no âmbito do município de Campo Grande e dá outras providências.


De acordo com o vereador Dr Lívio, “Fico feliz pela aprovação do projeto e quero deixar claro que minha posição é mostrar que há eficácia em muitas práticas. Meu desejo é que possamos sair apenas do uso de medicamentos e ir em busca do bem-estar”, declara.


As PMPICEPS são séries de práticas integrativas como: acupuntura e homeopatia, para o bem estar da população, instituindo práticas que são sistemas e recursos terapêuticos para estimular os mecanismos naturais de prevenção de doenças e da recuperação da saúde por meio de tecnologias eficazes e seguras. Agora a implementação das Práticas só depende da sanção do prefeito.


Conforme o parlamentar, desde o dia 23 de setembro, acontece a pesquisa científica idealizada e fomentada pelo Dr. Lívio Vianna de Oliveira Leite, o vereador Dr. Lívio. É o Programa Voluntário de Cuidados Integrativos e Complementares para os Profissionais da Saúde da Sesau. A população envolvida nesse programa será composta por profissionais de saúde pertencentes ao quadro da SESAU e lotados nas UBSs Universitário e Aero Rancho. (segue anexo com programa e quadro das aplicações nas Unidades Básicas de Saúde).


O projeto é constituído de três etapas, na primeira etapa será realizada a Semana de cuidados integrativos e complementares para os profissionais gestores da SESAU; a segunda etapa será a realização do Programa voluntário de cuidados integrativos e complementares para os profissionais da saúde da SESAU, profissionais pertencentes ao quadro das duas UBSs Universitário e Aero Rancho; e a terceira etapa será a realização da pesquisa referente a qualidade de vida dos profissionais de saúde da SESAU, profissionais pertencentes ao quadro das duas UBSs elencadas e que aceitarem participar da pesquisa.


As PIC’S (Práticas Integrativas e Complementares) mais conhecidas são homeopatia, aromaterapia, meditação, musicoterapia, acupuntura, yoga, dança circular, arteterapia e Constelação Familiar. As metas estão alinhadas à Agenda de Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). A Agenda é da OMS (Organização Mundial da Saúde) e é composta por 17 objetivos e 169 metas a serem atingidos pelos países-membros até 2030.

3 visualizações0 comentário