• Flavia Andrade

Com tema Japão, Corrida das Drag está com inscrições abertas para próxima edição


(Foto: Divulgação)

Candidatas podem se inscrever através do site até o dia 14 de fevereiro para Corrida das Drag 7

Carisma, humildade, ousadia, talento, amor pela arte drag e caos. Se você possui essas qualidades, se monta e reside em Mato Grosso do Sul, já pode se inscrever na 7ª edição da Corrida das Drag, competição de drag queens do Estado. O período de inscrições iniciou no domingo (31 de janeiro), durante live das organizadoras, e segue aberto até o dia 14 de fevereiro. Para se inscrever acesse o site oficial do evento.


Essa edição será online, assim como a que ocorreu ano passado, por conta da pandemia de Coronavírus. Mais uma vez os desafios serão feitos pelas participantes em casa e o resultado será mostrado a cada episódio da edição, que tem transmissão ao vivo pelo canal Corrida das Drag, no YouTube, sempre aos domingos, a partir das 19h. A previsão é que o programa inicie no dia 14 de março.


Serão selecionadas 6 competidoras e a cada episódio uma será excluída. O último episódio da disputa contará com a presença das duas finalistas no estúdio, e por fim, a melhor drag será consagrada Pantanal SuperStar. As escolhidas ganharão uma ajuda de custo semanal de R$ 100 para realizarem os desafios. O prêmio para a próxima campeã é de R$ 1 mil e a segunda colocada fica com R$ 500. Durante as gravações será adotado um protocolo de biossegurança para preservar a saúde de todos os envolvidos.


Corrida das Drag 7 é a primeira edição feita com incentivo público, conseguido através do edital Morena Cultura e Cidadania, promovido pela Sectur (Secretaria Municipal de Cultura e Turismo), com recursos da Lei Aldir Blanc.



O tema deste ano foi uma decisão fácil entre as idealizadoras do projeto, já que todas tem bastante referências vindas do Japão. Além disso, Campo Grande e Mato Grosso do Sul tem uma das maiores colônias japonesas no Brasil e o evento sempre valoriza a história e cultura local, então a produção decidiu explorar a temática, que é bem vasta, e agregou valores culturais não só no Estado como em todo o Brasil.


“O Japão é muito recorrente nas referências de todas que participam da corrida como organizadoras. Vemos animes, jogamos videogames, acompanhamos a moda e conhecemos um pouco da cultura japonesa. Já tinha um tempo que havíamos pensado nesse tema. Nossa atual Pantanal SuperStar – a queen campeã da 6ª edição Halley Star – também bebe com força dessa referência japonesa. A escolha foi coerente com seu reinado”, explica o estudante Guilherme Silva de Moraes, um dos idealizadores, que dá vida à drag Merineuza Joana.


Mas as participantes não devem ficar nas referências óbvias. “Não quisemos utilizar os elementos óbvios do Japão. Nos inspiramos muito na mídia japonesa, nas ruas de Tóquio, culinária. Japão é sempre uma coisa de muita informação, então eles vivem num certo caos. Acredito que a nossa temática vem um pouco desse lugar de trazer esse lado do país que quase não se explora, de ser o caos e ter prosperidade ao mesmo tempo”, complementa a professora e produtora cultural Pamella Yule, que também organiza a Corrida das Drag e interpreta a drag Pam Vênus.


Drags com bastante experiência, assim como as novatas, podem se inscrever na disputa. “As novatas terão oportunidade conhecerem seu trabalho em nível estadual e as antigas para lembrar e valorizar a força da cena local”, pontua a maquiadora e visagista Nara Forato – e também drag queen (Rana Foratto) –, júri da última edição e que retorna para avaliação das montações na atual. Ela dá dicas para quem pensa em participar. “Elas devem ter coerência com a montação no tema proposto e atenção aos mínimos detalhes”.


Acompanhe mais informações sobre a competição pelas redes sociais. Facebook: @corridadasdrag e Instagram: @corridadasdrag. Durante a edição haverá divulgação de conteúdos extras por lá.


Histórico


Iniciada em 2016 a Corrida das Drag começou com o intuito de reunir o público de RuPaul Drag Race para assistir a 8ª temporada do reality. A cada reunião uma drag nova da cidade, que ainda não tinha muito espaço nas boates, se apresentava e ganhava notoriedade pelos donos de casas noturnas e público presente.


Assim, o evento se tornou um espaço onde elas conseguiam trabalho, ganhando visibilidade na cena, durante três anos. Com o sucesso e pedido do público, decidiram mudar o formato do evento, o transformando em uma competição no ano de 2018, que aconteceu no antigo Resita! Bar e teve como vencedora Jhannine Perry.


O sucesso continuou e no segundo deste formato a competição aconteceu no Centro Cultural José Octávio Guizzo, com tema Mortal Kombat e a campeã foi a drag Rafa Spears. No ano passado a disputa continuou, dessa vez em formato online, e a vencedora foi a drag queen Halley Star.

1 visualização0 comentário