• Flavia Andrade

Companhia aponta influência do trigo na relação comercial entre Brasil e Argentina

Conab divulga estudo realizado sobre “A trajetória do Trigo no Brasil e o seu Papel nas Relações Comerciais e Institucionais entre o Brasil e a Argentina”.



Conab divulga estudo realizado sobre “A trajetória do Trigo no Brasil e o seu Papel nas Relações Comerciais e Institucionais entre o Brasil e a Argentina”. (Divulgação)

Nesta quinta-feira (31), a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), divulgou a importância do trigo no equilíbrio da balança comercial com o Brasil. O estudo foi intitulado “A Trajetória do Trigo no Brasil e o seu Papel nas Relações Comerciais e Institucionais entre Brasil e Argentina”.


Segundo a pesquisa revela, a exportação de bens manufaturados brasileiros, sobretudo nos setores automobilísticos e de máquinas elétricas, está fortemente relacionada com a importação do grão e de seus derivados, o que evidencia uma relação direta entre essas movimentações comerciais.


De acordo com o analista da Conab e responsável técnico pelo compêndio, Rodrigo Souza, “Um dos motivos desse vínculo deve-se ao fato de que a pauta de produtos exportados pela Argentina é pouco diversificada. Quase metade do que o país vizinho vende para o Brasil concentra-se em 16 produtos, sendo o trigo em grãos e a farinha de trigo responsáveis por aproximadamente 10% do total adquirido nos últimos anos. Já no caso brasileiro, são necessários pelo menos 50 produtos para atingirmos o mesmo nível de venda, devido à nossa grande diversidade de itens para exportação”, afirma.


O documento registra que o Brasil consome, por ano, cerca de 11 milhões de toneladas de trigo, sendo que a produção brasileira está estimada em 5,4 milhões de toneladas para a safra 2018/2019, conforme dados da Conab. A conclusão do estudo aponta ainda o quadro de gestão da oferta como outro importante fator de influência na relação de mercado desse cereal entre os países. A situação confirma ainda o histórico dos dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), os quais demonstram que, no período de 1997 a 2017, cerca de 77% do trigo importado teve como origem o país vizinho, a Argentina.

0 visualização

067996110911

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram Social Icon

©2018 by Flavia Andrade