• Flavia Andrade

Confrontos no Sudão do Sul matam e ferem dezenas, incluindo profissionais de MSF


Atendimento dos Médicos Sem Fronteiras no Sudão (Foto: MSF)

Membro da equipe de Médicos Sem Fronteiras foi morto na localidade de Pieri, no estado de Jonglei

Um membro da equipe de Médicos Sem Fronteiras (MSF) do Sudão do Sul foi morto e outros dois ficaram feridos durante combates intensos que ocorreram no fim de semana em Pieri e em seu entorno. A cidade está localizada no estado de Jonglei, no nordeste do Sudão do Sul, onde MSF mantém um centro de saúde primária.

“Expressamos nossas mais profundas condolências aos familiares, amigos e colegas do membro da nossa equipe e a todos os afetados. Condenamos da forma mais veemente possível os atos ultrajantes de violência intercomunitária, que deixaram dezenas de pessoas gravemente feridas, e tememos que muitas outras tenham morrido”, disse Steve MacKay, coordenador-geral adjunto de MSF no Sudão do Sul.

Os combates começaram nos arredores de Pieri no início da manhã de sábado, 16 de maio. Naquele momento, um paciente e três profissionais de MSF estavam no centro de saúde. A população fugiu para a mata e para vilarejos vizinhos. Entre eles, vários membros da nossa equipe que trabalha em Pieri. As hostilidades continuaram até a tarde de domingo, 17 de maio. Até então, alguns vilarejos do entorno haviam sido incendiados e casas em Pieri foram saqueadas.

Mais de 50 pessoas feridas, incluindo dois profissionais de MSF, foram levadas ao hospital de MSF em Lankien, a aproximadamente 50 km do norte de Pieri, onde agora estão em tratamento. "Temos motivos para crer que o número de pessoas feridas é muito alto", disse MacKay. “Até agora, recebemos 56 pessoas baleadas, mas tememos que muitas outras tenham sido mortas e mais de cem feridas em Pieri e seu entorno. Nossa equipe está muito preocupada com o fato de que outras pessoas feridas não terão como receber atendimento médico vital, por causa do acesso limitado a serviços de saúde na região.”

Nos últimos meses, ocorreram diversos episódios de violência no estado de Jonglei. Apenas dois meses atrás, em meados de março, o centro de saúde de MSF em Pieri recebeu 68 pessoas feridas em menos de 12 horas, muitas delas em estado grave.

"Os episódios recorrentes de violência intercomunitária continuam tendo consequências devastadoras para a população", disse MacKay. “Já vimos várias vezes que esse tipo de ataque pode causar o deslocamento e a perda de meios de subsistência para centenas ou até milhares de pessoas. Agora que a estação chuvosa está começando, aqueles que não têm abrigo adequado estão ainda mais expostos a doenças como malária, infecções das vias respiratórias e diarreia aguda e aquosa, que matam milhares de pessoas todos os anos. Tudo isso sem levar em conta a complexidade adicional da pandemia de COVID-19, que começou a se espalhar pelo país”, concluiu MacKay.

Em consequência desse ato de violência, MSF foi forçada a suspender as atividades médicas em Pieri até que possamos receber garantias quanto à segurança de nossa equipe. MSF segue comprometida em continuar prestando assistência médica vital à população de Pieri e do estado de Jonglei.


( ** Com informações da Assessoria)

5 visualizações

067996110911

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram Social Icon

©2018 by Flavia Andrade