• Flavia Andrade

Eduardo Romero acompanha comissão de moradores de assentamento em reunião com Prefeito


(Foto: Divulgação)

Durante reunião entre o vereador Eduardo Romero (REDE), uma comissão de moradores do assentamento Caroline e o Prefeito Marquinhos Trad, foi informado aos presentes que não será instalado aterro sanitário nas proximidades do loteamento. A espera por essa notícia demorou um ano, desde quando iniciou a tramitação de um pedido na prefeitura para instalar o aterro na Fazenda Colorado, na MS-040, vizinha das 92 famílias do Caroline.

De acordo com o prefeito Marquinhos Trad, "Alí não vai ser. Toda vez que a sociedade se envolve, a cidade se desenvolve e com isto temos a certeza que determinados locais residenciais não são para certo tipo de empreendimento", pontuou, em reunião realizada em seu gabinete com a presença dos assentados, o parlamentar, técnicos da Planurb e Semadur.

Eduardo Romero foi procurado por moradores do assentamento no início do mês de fevereiro deste ano. Relembrando que em 2019 houve uma audiência pública em dezembro sobre a proposta de aterro sanitário, quando os assentados mostraram total descontentamento com a possibilidade. O parlamentar também esteve por duas vezes no assentamento a convite dos moradores para ouvir os argumentos, conhecer a área do loteamento e solicitou documentos da prefeitura.

Segundo o professor Fábio Cerqueira, 40 anos, tem lote no assentamento Caroline, onde tem produção leiteira. " Nenhuma das 92 famílias são contra um novo aterro sanitário na cidade, mas é preciso que a área escolhida não traga impactos tão negativos como a proposta traria. Alí temos o Córrego Pouso Triste que abastece o Carolina e seria fortemente impactado. Vale ressaltar que desde o início os técnicos da prefeitura e o vereador sempre foram muito sensíveis conosco e, agora, o prefeito nos deu esta excelente notícia’, ressalta.

Ainda conforme Cerqueira, "O primeiro contato que tive com o vereador Eduardo Romero já me animou, pois não foi prometido nada, mas houve interesse em se inteirar do assunto e voltar a conversar. Depois vieram as visitas, estudos, mediação de agenda com o prefeito. Foi digno de honrarias a atitude do vereador. Com muita postura, trabalho consistente e sério foi primordial para nós do loteamento. A notícia que recebemos hoje (terça) foi espetacular", afirma.

A Oca Ambiental, é a empresa que pretendia construir o aterro sanitário na região, expandindo assim npara a Capital os negócios que já realiza no município de Dourados. A empresa adquiriu 48 hectares na Fazenda Colorado e entrou com pedido de autorização prévia. Porém, a prefeitura informou que a mesma não cumpriu questões técnicas exigidas como apresentar três possibilidades de área para montar o empreendimento, o Estudo de Impacto Ambiental foi considerado falho e ainda foi levada em conta a questão de vulnerabilidade ambiental da região, que abriga várias nascentes, fica na área da APA Guariroba, que é abastecedora de água para cidade; fauna e flora do local.

1 visualização

067996110911

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram Social Icon

©2018 by Flavia Andrade