• Flavia Andrade

Eduardo Romero destaca multa e responsabilidade penal pelo uso de pipas com cerol


Com o período de férias escolares vigentes nas redes públicas de ensino e ainda com o isolamento social, o vereador Eduardo Romero enfatiza o perigo das pipas ou pandorgas utilizadas com finalidade recreativa e ornamental entre crianças e também adultos, que podem se transformar em armas letais, quando utilizadas com linha chilena, que é aquela com misturas moídas cortantes, com objetivo de cortar linha da pipa dos oponentes. Além de estragar a brincadeira alheia, o cerol pode fazer cortes profundos e provocar a morte.


Segundo o parlamentar, vários espaços em Campo Grande estão sendo tomados pelos amantes do soltar pipa. " A brincadeira é saudável, reúne pais, filhos e amigos. Porém, a prática do cerol pode trazer sequelas ou ainda provocar a morte, especialmente de motociclistas e ciclistas", relata.


O vereador têm recebido alertas de moradores sobre encontro para confronto de pipas com cerol em bairros da Capital.


Conforme Eduardo Romero, "Soubemos que um motociclista foi atingido recentemente e para se salvar teve de pilotar a moto com uma mão enquanto utilizava a outra para estancar a hemorragia provocada por linha chilena. Uma busca desesperadora pela vida. Ele conseguiu chegar até o Hospital Regional e recebeu socorro", afirma.


A Guarda Civil Municipal tem desenvolvido operações contra a prática do uso do cerol. Entre os dias 8, 9 e 10 de maio quatro regiões foram monitoradas e o percentual de pipas recolhidas por terem artigos proibidos foi o seguinte, conforme a Guarda:  Lagoa (38%), Anhanduizinho (32%), Segredo (25%) e Prosa (5%).


Na Capital está em vigor a Lei Complementar n 116, de 29 de maio de 2008, que dispõe sobre a proibição da utilização de cerol, a linha chilena ou qualquer outro tipo de material cortante nas linhas de pipas. Pela lei ‘é proibido a produção, o fornecimento, o armazenamento, a venda, e o uso de cerol e a linha chilena e quaisquer outros materiais e artefatos cortantes nas linhas de pipas ou similares.’


De acordo com Eduardo Romero, a referida lei prevê multa, apreensão do material e em caso da posse ser de infrator menor, cabe medidas sócioeducativas estabelecidas pelo Estatuto da Criança e do Adolescente. A pena deve ser estendida. Além disso, Os pais ou responsáveis legais responderão como coautores da prática do ilícito praticado por seus filhos ou representados legais.


Por fim, o parlamentar diz que, "As denúncias de pontos de vendas de material proibido ou de pessoal soltando pipa com cerol e linha chilena podem ser feitas para Guarda Municipal, pelo telefone 153 ou ainda pelo 190 da Polícia Militar", conclui.

0 visualização

067996110911

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram Social Icon

©2018 by Flavia Andrade