• Flavia Andrade

Marcos Derzi preside encontro entre Sudeco e Geoterra para assinatura de acordo

Evento contou com a presença do Governador do Estado, Reinaldo Azambuja e demais autoridades para assinatura de acordo nesta quinta-feira (21).



Evento contou com a presença do Governador do Estado, Reinaldo Azambuja e demais autoridades para assinatura de acordo nesta quinta-feira (21). (Divulgação/Sudeco)

O encontro realizado entre a Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco) e a Geoterra, nesta quinta-feira (21), pactuou o Protocolo de Intenções para promover investimentos para o desenvolvimento socioeconômico do Distrito Federal e dos Estados de Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.



Paulo de Tarso Carlos - Gestor de Investimentos da Geoterra (Divulgação/Sudeco)

O documento foi assinado entre o superintendente da Sudeco, Marcos Derzi, e o gestor de investimentos da Geoterra, Paulo de Tarso Carlos, na tarde da quarta-feira (20), em Brasília.


Para o superintendente do Sudeco, Marcos Derzi, “a Geoterra quer explorar as Zonas de Processamento de Exportação (ZPE) do Centro-Oeste com a instalação de empresas dos setores agroindustriais, infraestrutura e logística voltadas para a produção de exportação do livre comércio com o exterior”. Uma das empresas interessadas em investir no Brasil está a Harbin Eletric Machinery Company Limited.


O acordo para a exploração das ZPE tem como finalidades: atrair investimentos estrangeiros; geração de emprego e renda; reduzir desequilíbrios regionais; fortalecer a balança de pagamentos; promover a difusão tecnológica; aumentar a competitividade das exportações brasileiras e; promover o desenvolvimento econômico e social do país. Isso viabiliza a implantação de projetos agroindustriais nas áreas de desenvolvimento, industrialização, estocagem refrigerada de alimentos e armazenagem de grãos para serem exportados.


De acordo com o vice-presidente da Harbin Eletric, Liu Yuqiang, “Nos últimos anos fizemos parcerias para desenvolver projetos na China e no Brasil. Queremos dar todo o suporte técnico e financeiro para contribuir no desenvolvimento dos estados”, afirma.


Segudo o texto do Protocolo de Intenções, a Sudeco deve: colaborar com informações socioeconômicas, ambientais e de aptidões agropecuárias - safras de grãos e produção animal - demonstrando a projeção de crescimento e a mensuração das áreas de cultivo e de pastagem com aptidão para expansão agrícola e; dar publicidade à carteira de investimentos dos partícipes, para que o mercado se manifeste quanto ao interesse em realizar o mesmo tipo de investimento.

A Geoterra, em contrapartida, deverá: prestar todas as informações disponíveis para o andamento do Protocolo de Intenções; participar de eventos em conjunto; envidar esforços para execução de projetos com os melhores padrões de qualidade; disponibilizar equipes técnicas para a execução do protocolo; criar uma carteira de investimentos e; monitorar, avaliar e divulgar os resultados das atividades a serem realizadas.


Paulo de Tarso Carlos afirma que, “já foi feito um estudo de viabilidade econômica. Os investimentos da Geoterra têm participação estrangeira da China, Rússia, Bielorrússia e Alemanha. 85% do financiamento vem de fora”, destaca.


A Geoterra deve realizar investimentos para promover a viabilização de projetos, suprir a demanda de matérias primas das indústrias instaladas nas áreas de avicultura, armazenagem em silos, reflorestamento, agricultura e confinamento. Também, deverá ser aplicado investimento com aporte financeiro para atender a demanda de máquinas, equipamentos e áreas para agricultura, pecuária e reflorestamento. Em Goiás também será implantado projetos agroindustriais.


Os municípios de Mato Grosso do Sul serão contemplados com o primeiro investimento visando atender a integração da Linha Ferroviária Norte-Sul. O complexo industrial apresentado pela empresa na Manifestação de Interesse Privado (MIP) para o Distrito Federal prevê: processadora de soja; produção de biodiesel; processamento de etanol de milho; abatedouro de aves e; abatedouro de bovinos. Há ainda a intenção de geração de energia por meio de 178 Pequenas Centrais Hidroelétricas (PCHs), sendo 90 para o Goiás, 67 para Mato Grosso e 21 para Mato Grosso do Sul.

Ainda conforme superintendente da Sudeco, Marcos Derzi,“o Protocolo de Intenções não implica em repasse e transferência de recursos. Os investimentos são de responsabilidade exclusiva da Geoterra”, conclui.


A reunião contou com a participação do diretor de Planejamento e Avaliação da Sudeco, Roberto Postiglione; da coordenadora-Geral de Fundos e Promoção de Investimentos da Diretoria de Implementação de Programação e de Gestão de Fundos (DIPGF) da Sudeco, Luciana de Sousa Barros; do governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja; do secretário de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar de Mato Grosso do Sul, Jaime Verruck; dos deputados estaduais de Mato Grosso do Sul, Coronel David e Eduardo Rocha; do deputado federal Beto Pereira; secretário de Estado de Governo e Gestão Estratégica (Segov/MS), Eduardo Corrêa Riedel; do secretário especial de Relações Institucionais e Assuntos Estratégicos de Mato Grosso do Sul, Pedro Chaves; do secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico de Mato Grosso, César Miranda; da deputada federal de Goiás, Flávia Moraes; do secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico e Inovação (SED/GO), Adriano da Rocha Lima; presidente do Instituto Nacional de Tecnologia Do Agronegócio, Everardo Lucena; representantes do Consórcio Brasil Central e; comitiva de investidores chineses.

2 visualizações

067996110911

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram Social Icon

©2018 by Flavia Andrade