• Flavia Andrade

Ministério da Educação busca criar fundo para financiar universidades federais


As cotas serão negociadas na Bolsa de Valores. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Nesta quarta-feira (17), o Ministério da Educação (MEC) apresentou o programa Future-se, onde um dos objetivos é criar um fundo de natureza privada, cujas cotas serão negociadas na Bolsa de Valores, para financiar as universidades e institutos federais. O Fundo contará inicialmente com R$ 102, 6 bilhões. A maior parte desses recursos, cerca de R$ 50 bilhões virá do patrimônio da União. A intenção é que sejam utilizados para financiar pesquisa, inovação, empreendedorismo e internacionalização das instituições de ensino.


O fundo será composto ainda por R$ 33 bilhões de fundos constitucionais, por R$ 17,7 bilhões provenientes de recursos angariados com leis de incentivos fiscais e depósitos à vista, por R$ 1,2 bilhão de recursos da cultura e por R$ 700 milhões provenientes da utilização econômica do espaço público e fundos patrimoniais. 


Ainda segundo o Ministério da Educação, o objetivo é de que essas ações gerem também recursos que serão remetidos ao fundo e também às instituições e aos próprios pesquisadores. A adesão das universidades e institutos será voluntária. O MEC não detalhou os critérios de distribuição de recursos entre as instituições.


Para o secretário de Educação Superior do MEC, Arnaldo Barbosa, "A gente quer premiar as boas práticas, a gente não acredita no assistencialismo, quer premiar a cultura do esforço, quer premiar o bom desempenho, por isso estamos lançando esse programa. A gente quer permitir que se formem cada vez mais talentos e quer reter esses talentos", conclui.

1 visualização

067996110911

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram Social Icon

©2018 by Flavia Andrade