• Flavia Andrade

Ministro Marcos Pontes fala sobre os avanços no Brasil e recursos do setor


Plataforma Carlos Chagas está em desenvolvimento para incluir informações referentes aos pesquisadores e usuários da Agência. (Foto: Cristina Mayumi/Tv Morena)

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Marcos Pontes, em entrevista coletiva nesta sexta-feira (26), no Teatro Glauce Rocha, durante a 71ª SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência), “A plataforma Carlos Chagas está sendo desenvolvida, onde serão incluídas todas as informações referentes aos pesquisadores e usuários da Agência, ou seja, não posso deixar cerca de 80 mil bolsistas sem receber, porém, precisamos da análise do Ministério da Economia, sobre a viabilidade de recursos. O Bolsonaro têm autonomia para decisão, porém, precisa analisar todas as situações. A batalha é constante, falando sobre orçamento 2020 precisamos temos que convencer através do Congresso e assim por diante”, destaca.


Ainda conforme Pontes sobre a instabilidade e as informações referentes a combates ao desmatamento e mapeamento de regiões, tanto na Amazônia quanto em outros lugares, após algumas críticas do presidente Jair Bolsonaro com relação ao Instituto, Ministro declara que, “Gosto de trabalhar com números porque não é muito sujeito a interpretações, a partir daquele momento, o INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), o que o inpe vai pensar ou o outro vai pensar. Temos que focar no fato, o Inpe é parte do ministério, que faz um trabalho bom há muito tempo, é reconhecido internacionalmente, eu como escrevi e já falei várias vezes, tenho um apreço muito grande pelo INPE, ele vai continuar fazendo o seu trabalho como tem sido feito, e o fato de se perguntar sobre um dado, uma variação, que aliás já foi feito algumas vezes, é normal, temos que encarar isso sem emoção. Independente disso, é importante ver que os dados do Inpe são calculados com uma metodologia, e os resultados são colocados segundo essa metodologia, agora, como você utiliza esses dados para colocar a informação são outros pontos. Os dados específicos, tem a função de auxiliar o IBAMA para mapear os locais, o fato é que é difícil fazer essa observação mais precisas, porém, não quer dizer que os dados estejam errados. Durante o período em que o IBAMA está em ação esses dados não devem estar expostos para não dar a ‘chave para o bandido’, para evitar que a árvore seja cortada, então, precisamos utilizar os dados com cautela”, conclui ministro Marcos Pontes.

0 visualização

067996110911

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram Social Icon

©2018 by Flavia Andrade