• Flavia Andrade

Otávio Trad aponta fases a serem realizadas antes de uma CPI na Câmara


Após solicitação de uma CPI do Transporte Público por um colega da casa, Presidente da Comissão de Constituição e Justiça destaca alguns pontos regimentais. (Foto: Izaias Medeiros/CMCG)

Nesta terça-feira (25),durante entrevista, o vereador Otávio Trad destacou alguns pontos regimentais e citou também a Lei Orgânica como base para expor alguns pontos essenciais a serem cumpridos antes da instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito. A explanação do parlamentar deu-se após a solicitação de uma criação de CPI pelo colega parlamentar, Vinicius Siqueira durante utilização da Tribuna.


De acordo com o vereador e presidente da Comissão de Constituição e Justiça, Otávio Trad, “Temos que fazer uma análise regimental do que nos precede antes de chegar a essa última arma do legislativo, em questão de fiscalização, que é a CPI, então, na minha opinião, assim como qualquer tema, devemos esgotar todas as esferas até chegar de forma efetiva em uma questão de uma Comissão Parlamentar de Inquérito, que tem um poder maior, uma prerrogativa maior em relação as outras”, destaca.


Com relação a reforma dos terminais, parlamentar aponta que, “A reforma dos terminais é uma questão unilateral da Prefeitura, até pelo fato de que, se eu não me engano, a concessão ela não obriga que a concessionária faça as reformas e inauguração de terminais, então, o Marquinhos tem feito a sua parte no que tange as questões do transporte coletivo. Tem feito reformas, tem reformado terminais que estavam antes praticamente inutilizados, agora esperamos que a concessão e a concessionária também cumpram os seus contratos, no que tangem a prestação de serviços dos ônibus”, afirma.


Ainda conforme parlamentar, na manhã desta terça-feira (25), “Solicitei a minha assessoria que encaminhasse um ofício solicitando respostas da Concessionária. Caso sejam respondidas as questões, também existe a possibilidade de convocar representantes da Prefeitura Municipal de Campo Grande e do Consórcio Guaicurus para debater as condições do transporte público na Capital. Sou a favor de todo e qualquer tipo de investigação desde que respeitadas questões antecedentes a ela. Inclusive, cabe a nós, conforme Art. 25 da Lei Orgânica, convocar, se necessário, o secretário e a concessionária para prestar informações”, conclui.

0 visualização

067996110911

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram Social Icon

©2018 by Flavia Andrade