• Flavia Andrade

Pedrossian Neto apresenta prestação de contas da Prefeitura à Câmara


Secretário Pedro Pedrossian Neto apresentando o balanço do 2° quadrimestre 2019 (Foto: Flavia Andrade)

Nesta segunda—feira (30), o secretário municipal de Finanças e Planejamento, Pedro Pedrossian Neto, participou de audiência pública na Câmara Municipal para detalhar as contas referentes ao 2° quadrimestre do exercício financeiro de 2019. Entre as explanações, enfatizou pagamentos de outros entes da federação pelo Executivo.


Segundo Pedro Pedrossian Neto, “Hoje, Campo Grande tem um protagonismo indesejado. Pagamos a conta de outros entes da federação: veja quanto temos de aportes em outros hospitais. Mandam gente para Campo Grande e não temos uma contrapartida. Dessa ótica, é problemático que Campo Grande assuma um encargo tão elevado”, pontuou.


A Comissão de Finanças e Orçamento da Câmara foi a proponente da audiência, sendo composta pelos vereadores Eduardo Romero (presidente), Odilon de Oliveira (vice-presidente), Delegado Wellington, Betinho e Dharleng Campos.


Ainda de acordo com Pedrossian Neto,“Não tem sido fácil. Temos muitas dificuldades e esse ano não tem sido diferente. Tivemos esse ano uma epidemia de dengue, o que refletiu em um aumento da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), que absorveu e consumiu boa parte de nossas reservas, nos colocando em uma posição de fragilidade em relação ao ano passado”, declarou.


Conforme balanço apresentado pela Secretaria de Finanças, os dados apontam que as receitas arrecadadas no 2º quadrimestre em todas as fontes cresceram 11,30% em relação ao mesmo período do ano passado, passando de R$ 2.158.033.671,52 para R$ 2.401.860.992,37. Já as despesas, por outro lado, também cresceram, passando de R$ 1.879.147.075,02 para R$ 2.094.197.910,66, considerando o aumento de 11,44%.


Para o secretário de finanças, “Não há discrepância nos números. O único descompasso está no Tesouro, considerando que as receitas cresceram 7,15% (de R$ 1.152.018.448,21 para R$ 1.234.371.601,52), as despesas também tiveram alta de 11,28% (R$ 960.453.942,26 para R$ R$ 1.068.761.335,65).



Secretário Pedro Pedrossian Neto e o presidente da Comissão de Finanças e Orçamento, Vereador Eduardo Romero(Foto: Flavia Andrade)

Já para o Presidente da Comissão de Finanças e Orçamento, o vereador Eduardo Romero abordou a importância da audiência pública na Casa, para aproximar a população dos instrumentos de fiscalização do dinheiro público.


Ainda conforme o parlamentar, “A Câmara tem tentado aproximar a sociedade dessas discussões, de orçamento ou de outras políticas públicas, com seminários, audiências públicas e encontros. Todas as agendas possíveis a Câmara tem tentado fazer. Temos muitas coisas a serem feitas e muitos desafios colocados. Mas temos visto uma mudança comportamental nas agendas do Legislativo e na relação com a sociedade. Essa presença tem sido cada vez mais qualificada. É um processo de movimentação conjunta”, conclui.


4 visualizações

067996110911

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram Social Icon

©2018 by Flavia Andrade