• Flavia Andrade

São Paulo espera colheita de 260 mil toneladas de trigo


Safra paulista 2019/2020 foi discutida durante a última reunião do ano da Câmara Setorial do Trigo de São Paulo (Foto: Divulgação/Assessoria)

O setor do trigo de São Paulo espera uma colheita de 260 mil toneladas do grão, 18% a mais do que o apresentado na última reunião em agosto. O dado divulgado durante o encontro da Câmara Setorial do Trigo, realizada em 7 de novembro, na sede do Sindicato da Indústria do Trigo no Estado de São Paulo (Sindustrigo), em São Paulo (SP), que reuniu representantes de diferentes elos da cadeia produtiva.


Para o presidente da Câmara Setorial do Trigo, Nelson Montagna, “Pudemos notar a preocupação das cooperativas com as condições climáticas e os seus efeitos na produção, mas felizmente as geadas e as secas não afetaram a cultura. Seguiremos perseguindo o aumento do plantio no estado. Atualmente temos uma área plantada de trigo de 70 mil hectares, que podem se tornar 100 mil hectares”, relata.


Além deste, outro tema foi debatido durante a reunião foi o pleito do setor produtivo para a revisão da lei de zoneamento agrícola, que será reforçado pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado perante o MAPA. Montagna enfatiza que “as janelas do plantio estão inadequadas para a nova realidade e que são necessárias mudanças”, declara.


Todos os presentes acompanharam o reporte de expectativa de safra das cooperativas do estado, e debateram sobre necessidade de reativação de pesquisas realizadas pelos institutos públicos, aspecto que pode contribuir para o aumento da produção do trigo paulista. Representantes da Secretaria de Agricultura do Estado, do IAC – Instituto Agronômico de Campinas e ITAL – Instituto de Tecnologia de Alimentos solicitaram aos integrantes da Câmara Setorial uma análise SWOT do setor, mapeando as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças, que servirá como base para um plano de ação do Governo do Estado. “A Câmara também ajuda a fomentar o diálogo e entender melhor a demandas do setor com seus desafios e anseios”, ressalta Montagna.


Durante o evento também esteve presente o administrador de empresas Pedro Sampaio, da trading de commodities Gavilon, que trouxe aos participantes um panorama do mercado internacional do trigo, detalhando o cenário da cultura no país e as expectativas e desafios da produção em São Paulo. “Devemos estar atentos a questões como o estoque de trigo, que pode impactar no preço do cereal para baixo, e também a novas políticas do governo argentino, que podem fazer com que a produção da próxima safra do país reduza de tamanho”, destaca Pedro, ressaltando que a liberação da cota para a importação para o Brasil de 750 mil toneladas de trigo de países de fora do Mercosul sem tarifa também deve impactar nas negociações com a Argentina.


A próxima reunião da Câmara Setorial do Trigo está prevista para março de 2020.

2 visualizações

067996110911

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram Social Icon

©2018 by Flavia Andrade