• Flavia Andrade

Sancor libera R$ 150 milhões para indenizações da safra de Soja


(Foto: Divulgação)

São pagamentos da safra 2019/2020 que beneficiaram segurados de dez estados do Brasil, em especial Paraná e Rio Grande do Sul, que receberam 88% do montante. Chuvas e déficit hídrico foram os principais eventos climáticos que causaram quebra na produção da cultura.


A Sancor Seguros, empresa do maior conglomerado segurador da Argentina e terceiro lugar no ranking das maiores a atender o setor agrícola brasileiro, liquidou R$ 150 milhões para o pagamento de sinistros da safra 2019/2020 da cultura de soja. Os proventos foram efetuados em março, maio, junho e início de julho. Dez estados tiveram indenizações: Tocantins, Bahia, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, São Paulo, Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul - estes dois últimos, juntos, receberam 88% do valor. Foram 1900 ocorrências de 1400 segurados. O montante foi destinado para, aproximadamente, 400 beneficiários, entre agricultores, revendas, cooperativas e canais financeiros.

Diretor Financeiro da Sancor, Rafael Gozer (Foto: Divulgação)

O Rio Grande do Sul foi o que apresentou maior quebra de produtividade, entre 54% e 63%, apontam os dados do Comitê Estratégico Soja Brasil - CESB. Os agricultores rio-grandenses tiveram que lidar com sérios problemas de déficit hídrico em diferentes momentos do ciclo da soja. Segundo o diretor Financeiro da Sancor, Rafael Gozer, beneficiários de 136 cidades do Rio Grande do Sul registraram sinistros de soja na companhia, em especial, Dom Pedrito, Itacurubi, São Sepé, São Gabriel e Cachoeira do Sul - juntas elas respondem por 24% das ocorrências nesse estado. 

Lidar com falta e excesso de chuvas em um mesmo período foi outro obstáculo para as lavouras de soja. “No Paraná, segundo com maior acionamento de sinistros na Sancor,  segurados de 94 cidades estão sendo reembolsados. Só os municípios de Cafezal do Sul, Perobal, Iporã, Alto Piquiri, Lobato e Santa Inês somaram mais de 40% dos pagamentos”, diz Gozer.  Ainda assim, o paranaenses devem fechar a safra 2019/2020 com quase 41 milhões de toneladas de grãos, 13% a mais que na safra anterior, estima o Departamento de Economia Rural da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento - Deral. Além dos R$ 150 milhões já quitados, a Sancor Seguros liquidará mais R$ 40 milhões que estão em processo para indenização. O total, R$ 190 milhões, é cerca de 10% maior do que os inventariados na safra 2018/2019. 

Mercado - A Sancor Seguros é uma empresa multicanal em expansão: em 2019 registrou faturamento de R$ 432 milhões, 27% maior que o exercício anterior. Atua, entre outros segmentos, no Agronegócio, produto que dá à companhia o terceiro lugar no ranking das maiores a atender o setor agrícola. “Somos muito compromissados com o produtor rural e ele, por sua vez, sabe que o seguro é uma importante ferramenta no trato do negócio do campo. As soluções da Sancor, cada vez mais inovadores e completas e com cobertura para as diversas culturas, são desenvolvidas atendendo às demandas deles.”, destaca Leandro Poretti, diretor Geral da Sancor Seguros. Sobre a Sancor Seguros 

Empresa do maior conglomerado segurador da Argentina, com mais de 70 anos de atuação naquele país, a Sancor Seguros opera no Brasil desde 2013 por meio da matriz em Maringá, no Paraná, 7 filiais e mais 12 escritórios comerciais. Proteger conquistas e sonhos, promover progresso e bem estar, esse é o propósito que faz a Sancor Seguros inovar sempre e seguir em expansão: em 2019 registrou faturamento de R$ 432 milhões, 27% maior que o exercício anterior. São mais de 1,750 milhões de segurados, cerca de 250 colaboradores e mais de 2 mil corretores parceiros. Com portfólio consistente, a Sancor Seguros atua nos segmentos Pessoas, Auto, Patrimonial e, também, no Agronegócio, produto que dá à companhia o terceiro lugar no ranking das maiores a atender o setor agrícola. 

0 visualização

067996110911

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram Social Icon

©2018 by Flavia Andrade